Quando aqui aportei Marília, tinhas tu 22 anos. Hoje decorrido 63 desde minha chegada cresceste muito. Teu símbolo de Paz, Liberdade e Trabalho ainda permanece no meu inconsciente.

Embora não seja minha cidade biológica, foi aqui que decidimos viver. Não te abandonei nunca. Aqui fiz todas as etapas de minha vida até a presente data. Podemos gostar de você tanto quanto eu, mas, ninguém gosta mais do que eu.

Teu crescimento é fruto de teu nascimento. Vigorosa, és fruto da raça e do destemor de teu povo que nunca te abandonou.

Poderias ser mais do que és? Talvez. Nos últimos 30 anos tens sido vítima de teus governantes, todos eles incompetentes e de reputação duvidosa. Isto tem te atrapalhado e  enxovalha teu nome.

Mas, tem uns povo bom. Que crê em ti. Somos pessimistas esperançosos que acreditam que tu vais mudar. Que teu povo acordará da letargia que o assiste e então se operará a mudança.

Marília…Marília bela. Não desista de tí. Certamente chegará o dia de sua redenção. E aí, o poeta continuará a te louvar.