Ainda recentemente assistindo o musical Elis, lá esta a presença de Jair Rodrigues bem caracterizado por um ator, do qual não recordo o nome.

Jair entrou em minha vida de admirador de música de MPB em dois momentos. Cantando Disparada e depois com Elis e Jair – 2 na bossa.

Anos 60. Este personagem tomou conta de todos. Alegre, uma ginga inimitável para o seu canto e ao longo da carreira, com uma diversidade de músicas, mas todas ao gosto do bom público. Com isto manteve uma bela carreira, pois 75 anos afinal, já não é uma idade tão velha assim. Atingiu ele a media de vida dos brasileiros, embora ele, por sua profissão tenha sido um diferenciado.

Um negro alinhado, alegre,  que soube se impor na ao longo da vida e assim conquistando, por méritos de sua voz e repertório, o povo brasileiro de todas os segmentos sociais. Quem não gostava dele?

Sempre com um belo sorriso. Era assim que se apresentava na TV e em suas entrevistas. Seu canto encantou. Seu canto fazia parte do nosso enredo. Teve a popularidade do tamanho de sua conduta.

Foi cedo. Todos perdem nesta hora. Voa e descanse bravo JAIR RODRIGUES.