Archive for 14 de maio de 2014

Aliados da presidente Dilma vão comandar a CPI da Petrobrás

1055

O titulo é a manchete  da Folha de São Paulo de hoje.

Estes políticos sem caráter (e não é de hoje) nos trata como idiotas. Esta é uma repetida verdade. Nem mais sei porque escrevo a respeito disto. Pensamentos que me ocorrem, são impublicáveis. Meu pai não permitiria e os meus poucos leitores iriam estranhar.

O Congresso Nacional, retira por mais uma vez,  do povo brasileiro  a possibilidade de termos uma pequena chance de sonhar com uma democracia real e assistir a vitória dos melhores valores.

Esta CPI não vai terminar em pizza. Ela já começou com caviar. E dos melhores. Caviar Bolivariano.

Somos mesmo uma republiqueta de terceira classe, queiramos ou não. Qualquer cidadão razoavelmente sensato deve estar pensando como eu penso. Era sonhador e hoje sinto-me um “pessimista juramentado” como dizia o personagem de Sucupira.

A ficção Sucupiriana, a cada ano que passa deixa de ser. A realidade indesejado se sobrepõe. Somos uma horda de oprimidos e desnutridos. Estamos perdendo as nossas utopias e estamos caminhando em direção a um futuro tão incerto que mal podemos prever.

E os que estão por vir. As gerações futuras, o que podem esperar? Se o presente não nos dá o que queremos, como podemos almejar o que virá.

Paulo Francis diria…”está ficando tarde demais….”

Hablar e não ter quem ouvir.

140

Escrevo pouco e já falei muito em televisão. E as coisas não mudam em nosso País. Todos os economistas da modernidade, de forma quase unânime, criticam a política econômica do governo e o governo contínua fazendo a mesma coisas.

Todos os cientista políticos, além das nossas melhores cabeças pensantes e mesmo substancial parte de nosso povo, falam de reforma política. E ninguém a faz.

Porque hablar e porque escribir sobre estes assuntos. Para quem falamos?

Esta aí uma grande questão e que bem foi colocada por Arnaldo Jabor na crônica de ontem no Estadão.

Em junho do ano passado, quando acreditávamos que um novo começo  estava por acontecer, imperou o vandalismo e que agora se descontrolou de vez afogando e abafando as vozes daqueles que queriam alguma coisa.

Não sei mais para quem escrevemos e nem para quem falamos, vez que não há ressonância. A nossa leniência é algo doentio. A possiblidade de vivermos numa democracia o que nos daria legitimidade de reivindicar novas utopias prostra-nos ao chão, diante de um governo ameaçador que manipula as massas com seus planos de mendicância social e chamam a isto política social. Simples acesso a perversa a sociedade de consumo.

A Copa das Copas num país que não tem produtividade, competitividade num mundo global. Um país que pratica política econômica de protecionismo exagerado. Um país sem infraestrutura, estado inoperante. Um país  que vai investir 8 bilhões em rodovias, esquecendo que tem portos, hidrovia, ferrovia e ademais, o faz só em vésperas de eleição. Um país de governantes incapazes de desviar o Rio São Francisco obra atrasada há anos e de um custo inconfessável.

A Petrobrás faz uma Usina de refino (Assis Brasil) no norte do Brasil. Custo previsto: 2 bilhões de dólares. Quanto já gastamos:  20 bilhões. E ainda não está pronta. O que mais necessitamos?

Por que e para quem falar. Por que e para quem escrever.

Porque faço?  Sinto-me derrotado.

 

 

 

 

 

Go to Top