As manifestações contra a COPA prejudicam a imagem do Brasil. Empresários, políticos neste sentido se manifestam.

O povo, injustiçado e esquecidos, reclamam da realização de um empreendimento que o BRASIL não deveria ter colocado como prioridade. Venceu o populismo e nós perderemos alguns bilhões, vez que alguém tem de pagar esta conta.

Esta conta será creditada a sua Excelência o cidadão.

Realmente a decisão de realizar a Copa não foi tomada pelos melhores interesses nacionais. Um país que cresce pouco, que não tem infraestrutura para receber tal evento, assumiu um compromisso que não podia cumprir e agora se submete ao vexame internacional.

Os interesses são inconfessáveis. Na verdade, ganham os empresários construtores e alguns outros setores que são fornecedores de material e mão de obra. Poucos ganham e muitos são frustrados.

Temos carências profundas em termos qualidade de vida medidos pelo IDH, os que medem a qualidade da educação, saúde etc…..

Não temos competividade e não temos produtividades. Nossos produtos tem alto custo o que impede maior exportação. Não participamos e nem investimos no comercio multilateral. Temos um mercado fechado com protecionismo exagerado e nosso Itamaraty de mãos atadas por um governo autoritário.

E agora que povo reclama do gasto com COPA, a culpa é sua. A COPA, além de efêmera, produz resultados econômicos efêmeros e o que fica de definitivo são os elefantes: alguns  brancos e outros amarelados de vergonha.

Tudo é uma grande insensatez e que será pior se não for garantida a vitória do BRASIL. Ai, os políticos, vão dizer que o brasileiro torceu contra a seleção.

Imperou a insensatez e a irresponsabilidade do governo Lula. Vamos levar anos pagando a conta do desperdício de um dinheiro que não foi destinado ao interesse público.

Sim, porque o que deveria imperar é o melhor interesse público e nunca o interesse politiqueiro e egoísta de um não estadista.